Pesquisar este blog

Recebe as atualizações no seu e-mail

31 de agosto de 2012

Matador de "Puliça"


29 de agosto de 2012

Na casa do Senhor não existe Satanás





A posse do Pastor Talles Felipe na Segunda Igreja Batista em Arapongas, sábado (25) foi um momento de nostalgia e ao mesmo tempo deixou muitos presentes irritados com uma participação, ou melhor, duas participações, um quanto inusitada.




Segundo apuramos muitas pessoas não gostaram da presença do candidato a prefeito de Arapongas da Coligação “Juntos Por Arapongas”, Waldyr Pugliesi (PMDB). Além do candidato, teve a co-participação do seu mais novo aliado, o ex-prefeito José Aparecido Bisca, que se encontra inelegível, pois quando foi prefeito (1997-2000 e 2001-2004) não agiu corretamente.

De acordo com relatos colidos, quando o candidato do PMDB pegou o microfone houve uma pequena algazarra e muitos não curtiram nada, nada, mas nada mesmo do que estava acontecendo. Ouvimos as pessoas dizerem que foram para a posse, uma celebração religiosa e não para uma reunião política partidária e muito menos num “comício”.

Na ocasião o ex-prefeito inelegível foi destacado como um homem de bem e que soube administrar Arapongas como um exemplo de governo. Waldyr Pugliesi, disse, segundo relatos, que manterá a política de “doações de terrenos” para entidades religiosas, coisa que somente ele sabe fazer.

Foram mais de quarenta minutos de falação política partidária entre os “políticos”. O que será que Jesus Cristo, já que a referida Igreja é uma entidade cristã, faria se aparece lá e visse esta pouca vergonha? Um detalhe que fica no ar é que a lei eleitoral proíbe este tipo de campanha. 
Segundo a lei 9.504/97 e de acordo com o artigo 13 da resolução 22.718/2008, do Tribunal Superior Eleitoral é proibida a propaganda eleitoral, impressa ou verbal, nos templos religiosos, e o desrespeito a esta regra pode acarretar a aplicação de multa de até R$ 8 mil. 
Eu fui testemunha ocular quando o senhor José Aparecido Bisca saiu do Cine Mauá, depois de sua posse, 1º de janeiro de 1997, foi até o gabinete na prefeitura, pegou a cadeira do ex-prefeito, Waldyr Pugliesi, e queimou. Também fui testemunha duma missa que ele encomendou para “exorcizar” o passado que havia arrombado os cofres da cidade dos pássaros.

Confira mais fotos de Thiago Lopes, "disponível" em:  http://www.facebook.com/media/set/?set=oa.274557375991941&type=1
Acessado dia 28/08/2012 às 20H15







27 de agosto de 2012

"O que pode (ou não) ser dito na cama"



Com informações da Redação Bonde

O sucesso da trilogia sadomasoquista "Cinquenta tons de cinza", da escritora E. L.James, serviu de inspiração para a norte-americana Marisa Bennett em seu livro de estreia, que ganhou o título "Cinquenta tons de prazer". O livro, que reúne dicas apimentadas de sexo, chega ao Brasil pela editora Best Seller.

A autora consegue reunir boas e até divertidas sugestões que prometem tirar a rotina sexual da monotonia. Em um dos capítulos do livro Marisa Bennett lista as "regras para falar obscenidades". Ele explica o vale e o que não vale ser dito entre quatro paredes. Confira:

Você pode dizer...
Sexo tem muito a ver com autoconfiança e por mais que você não se sinta uma estrela pornô, na hora H, é preciso deixar fluir os sentimentos. Fale sem medo o que vem à sua mente, com uma linguagem sexy e segura de si. Frases do tipo "Você é o homem mais gostoso do mundo" são permitidas.

Honestidade também é fundamental entre quatro paredes, por isso, não tenha medo de pedir o que quer. "Falar 'adoro te ver em cima de mim' não vai dar a você a coroa da perversão verbal, mas será o início da conversa", diz a autora Marisa Bennett no livro.

Outra dica de "Cinquenta tons de prazer" é ser descritiva. A regra aqui é clara: diga o que quer que o seu parceiro faça com você ou o que você deseja fazer com ele. Simples assim. Alguns palavrões não são só permitidos, como também bem-vindos. Permita-se.

Você não pode dizer...
Se você é aquele tipo de namorada ou esposa que adora tratar o seu homem como um bebê, é melhor deixar as palavras infantis para fora do quarto, elas não são nada excitantes.Evite também fazer voz de criança ou dar apelidos para as genitais. Isso, definitivamente, não é nada sexy!

Jamais diga o nome do ex. "Isso é básico em todas as partes do relacionamento, não apenas na hora de falar obscenidades", diz a autora. Para evitar o risco, concentre-se no homem da vez e grite o nome dele bem alto para deixá-lo excitado.

E nunca, nunca mesmo, diga uma mentira ou alguma "safadeza" que ele não gostaria que você fizesse. "Se alguma coisa que você quer falar for ridícula ou pode fazer seu parceiro rir na sua cara, não diga", alerta o livro. Acredite no seu instinto. Ele saberá o que fazer. 

23 de agosto de 2012

Respeitando o meio ambiente



Na fila do supermercado, o caixa diz uma senhora idosa:

- A senhora deveria trazer suas próprias sacolas para as compras, uma vez que sacos de plástico não são amigáveis com o ambiente.

A senhora pediu desculpas e disse:

- Não havia essa onda verde no meu tempo.

O empregado respondeu:

- Esse é exatamente o nosso problema hoje, minha senhora. Sua geração não se preocupou o suficiente com o nosso ambiente.

- Você está certo - responde a velha senhora - nossa geração não se preocupou adequadamente com o ambiente. Naquela época, as garrafas de leite, garrafas de refrigerante e cerveja eram devolvidos à loja. A loja mandava de volta para a fábrica, onde eram lavadas e esterilizadas antes de cada reuso, e eles, os fabricantes de bebidas, usavam as garrafas, umas tantas outras vezes.

Realmente não nos preocupamos com o ambiente no nosso tempo. Subíamos as escadas, porque não havia escadas rolantes nas lojas e nos escritórios. Caminhávamos até o comércio, ao invés de usar o nosso carro de 300 cavalos de potência a cada vez que precisamos ir a dois quarteirões.

Mas você está certo. Nós não nos preocupávamos com o ambiente. Até então, as fraldas de bebês eram lavadas, porque não havia fraldas descartáveis. Roupas secas: a secagem era feita por nós mesmos, não nestas máquinas bamboleantes de 220 volts. A energia solar e eólica é que realmente secavam nossas roupas. Os meninos pequenos usavam as roupas que tinham sido de seus irmãos mais velhos, e não roupas sempre novas.

Mas é verdade: não havia preocupação com o ambiente, naqueles dias. Naquela época só tínhamos somente uma TV ou rádio em casa, e não uma TV em cada quarto. E a TV tinha uma tela do tamanho de um lenço, não um telão do tamanho de um estádio; que depois será descartado como?

Na cozinha, tínhamos que bater tudo com as mãos porque não havia máquinas elétricas, que fazem tudo por nós. Quando embalávamos algo um pouco frágil para o correio, usamos jornal amassado para protegê-lo, não plastico bolha ou pellets de plástico que duram cinco séculos para começar a degradar. Naqueles tempos não se usava um motor a gasolina apenas para cortar a grama, era utilizado um cortador de grama que exigia músculos. O exercício era extraordinário, e não precisava ir a uma academia e usar esteiras que também funcionam a eletricidade.

Mas você tem razão: não havia naquela época preocupação com o ambiente. Bebíamos diretamente da fonte, quando estávamos com sede, em vez de usar copos plásticos e garrafas pet que agora lotam os oceanos. Canetas: recarregávamos com tinta umas tantas vezes ao invés de comprar uma outra. Afiávamos as navalhas, ao invés de jogar fora todos os aparelhos 'descartáveis' e poluentes só porque a lâmina ficou sem corte.

Na verdade, tivemos uma onda verde naquela época. Naqueles dias, as pessoas tomavam o bonde ou ônibus e os meninos iam em suas bicicletas ou a pé para a escola, ao invés de usar a mãe como um serviço de táxi 24 horas. Tínhamos só uma tomada em cada quarto, e não um quadro de tomadas em cada parede para alimentar uma dúzia de aparelhos. E nós não precisávamos de um GPS para receber sinais de satélites a milhas de distância no espaço, só para encontrar a pizzaria mais próxima.

Então, não é risível que a atual geração fale tanto em "meio ambiente", mas não quer abrir mão de nada e não pensa em viver um pouco como na minha época?

22 de agosto de 2012

Velha tarada - Brasília não tem políticos "louco"




21 de agosto de 2012

Mulher de vereador recebeu dinheiro do Bolsa Família no Ceará

Com informações de Aliny Gama do UOL

A mulher de um vereador de Fortaleza recebeu R$ 330 do programa Bolsa Família em 2009 e 2010. Segundo o Portal da Transparência, do governo federal, Adriana Lúcia Bezerra de Alencar, mulher do vereador Leonelzinho Alencar (PTdoB) - eleito em 2008 para seu primeiro mandato-, estava cadastrada no programa destinado a famílias de baixa renda e pobreza extrema.

Segundo o portal, Adriana recebeu R$ 66 no ano de 2009 e R$ 264 em 2010. Para retirar o benefício, segundo arquivos cadastrais da Semas (Secretaria Municipal de Assistência Social), a mulher do vereador declarou ter renda familiar mensal de R$ 139 por pessoa da residência. O salário mensal de um vereador em Fortaleza gira em torno de R$ 9.000.

Em novembro de 2010, ela deixou de receber o benefício quando ocorreu uma ação de revisão nos cadastros do Bolsa Família em Fortaleza. A secretaria informou que está investigando o caso, e, se comprovada a fraude, deve acionar o MP (Ministério Público Estadual) para que sejam tomadas as providências.

Caso haja comprovação do envolvimento de Adriana Lúcia no cadastro, ela poderá ser processada por falsidade ideológica, fraude e ainda ser obrigada a devolver o valor recebido. A reportagem do UOL entrou em contato com o gabinete do vereador, mas foi informada de que ele não comentará o assunto até ser notificado pela Justiça.

O programa
O Bolsa Família é um programa social que beneficia 21 milhões de famílias de pobreza extrema ou baixa renda, que recebem mensalmente até meio salário mínimo por pessoa ou renda total de até três salários míninos.

9 de agosto de 2012

A NOTA DE R$ 100,00


Um famoso palestrante começou um seminário numa sala com 200 pessoas, segurando uma nota de R$ 100,00.

Ele perguntou:
 “Quem de vocês quer esta nota de R$ 100,00?”

Todos ergueram a mão...

Então ele disse: 
 “Darei esta nota a um de vocês esta noite, mas primeiro, deixem-me fazer isto...” Então, ele amassou totalmente a nota.
E perguntou outra vez: “Quem ainda quer esta nota?”
As mãos continuavam erguidas. E continuou: “E se eu fizer isso...” Deixou a nota cair no chão, começou a pisá-la e esfregá-la. Depois, pegou a nota, agora já imunda e amassada e perguntou: “E agora?” “Quem ainda vai querer esta nota de R$ 100,00?” Todas as mãos voltaram a se erguer. O palestrante voltou-se para a platéia e disse que lhes explicaria o seguinte: “Não importa o que eu faça com o dinheiro, vocês continuaram a querer esta nota, porque ela não perde o valor.

Esta situação também acontece conosco. Muitas vezes, em nossas vidas, somos amassados, pisoteados e ficamos nos sentindo sem importância. Mas não importa, jamais perderemos o nosso valor. Sujos ou limpos, amassados ou inteiros, magros ou gordos, altos ou baixos, nada disso importa! Nada disso altera a importância que temos. O preço de nossas vidas, não é pelo que aparentamos ser, mas pelo que fizemos e sabemos.”

Agora, reflita bem e procure em sua memória:
Nomeie as 5 pessoas mais ricas do mundo.
Nomeie as 5 últimas vencedoras do concurso de Miss Universo.
Nomeie 10 vencedores do prêmio Nobel.
Nomeie os 5 últimos vencedores do prêmio Oscar, como melhores atores ou atrizes.
Como vai? Mal, né? Difícil de lembrar? Não se preocupe. Ninguém de nós se lembra dos melhores de ontem.
Os aplausos vão-se embora. Os troféus ficam cheios de pó. Os vencedores são esquecidos.

Agora faça o seguinte:
Nomeie 3 professores que te ajudaram na tua verdadeira formação.
Nomeie 3 amigos que já te ajudaram nos momentos difíceis.
Pense em algumas pessoas que te fizeram sentir alguém especial.
Nomeie 5 pessoas com quem transcorres o teu tempo.
Como vai? Melhor, não é verdade?

As pessoas que marcam a nossa vida não são as que têm as melhores credenciais, com mais dinheiro, ou os melhores prêmios.
São aquelas que se preocupam conosco, que cuidam de nós, aquelas que, de algum modo, estão ao nosso lado.

O QUE SERÁ

8 de agosto de 2012

Maioria dos homens não fazem rodeio para dar um fora

Com informações do Bonde.com
Definitivamente, arranjar uma desculpa para dispensar uma mulher não é mais a primeira opção dos homens. Para surpresa geral da mulherada, é isso que comprova a pesquisa realizada pelo ParPerfeito, maior site de relacionamento do Brasil.

Ao serem questionados sobre o que os motivaria a inventar uma desculpa para não sair mais com uma mulher, 61% dos homens foram taxativos ao responder que preferem ser sinceros. Já entre os que admitiram mentir, 25% disseram que o fazem para não magoar a parceira, 10% por achar mais prático e fácil e 4% por não ter coragem de encarar a reação dela. 
A pesquisa, que contou com a participação de 35 mil pessoas, também apontou quais os fatores que realmente impactam na fase da conquista.

Aprovado, pelo senado, obrigatoriedade do diploma de jornalista

Com informações do IAnotícia

O Senado aprovou na noite de ontem, dia 7 de agosto, por 60 votos a 4, a PEC que torna obrigatório o diploma de jornalismo para o exercício da profissão no Brasil.

Com a aprovação, a Proposta de Emenda Constitucional segue para votação na Câmara dos Deputados.
Em junho de 2009, o Supremo Tribunal Federal decidiu que o diploma de jornalismo não seria obrigatório para exercer a profissão.

7 de agosto de 2012

“Me Serve, Vadia!”, Nina feat. Carminha

Carminha sendo empregadinha de Nina em “Avenida Brasil” agora também é música. Uma faixa chamada “Me Serve (QqVcQuer Remix)”, criada por DJ Masa, é um batidão com as falas polêmicas de Nina e Carminha dos últimos capítulos da novela.

Saiba o que acontece quando fuma maconha


6 de agosto de 2012

Enquete fora do ar


Durante os últimos dias rolou uma enquete no Facebook sobre “em quem votar nas eleições 2012” com relação as eleições municipais em Arapongas, Norte do Paraná. Na enquete havia várias opções de votos, inclusive dos quatro candidatos.

O candidato do PR, o engenheiro Graça Junior, começou atrás dos adversários, mas logo começou uma retomada, passando primeiro o deputado estadual, Waldyr Pugliesi (PMDB), depois o ex-padre Beffa (PHS) e ficou durante dois dias ‘pau a pau’ com o presidente da Câmara de Vereadores, Sérgio da Silva (PSD). No sábado (04) havia um empate entre os dois, 284 votos, porém o engenheiro passou o ex-pupilo do deputado, sendo que uma pessoa desistiu de ter votado nele.

A enquete ficou no ar durante todo o domingo (05) quando Graça Júnior obteve 288 votos contra 283 do ex - pupilo do deputado. Estranhamente nesta segunda-feira a enquete foi retirada do ar. Alguns questionamentos ficaram no ar, no qual prefiro fazer depois. Mas porque a enquete não ficou no ar?

Google+ Badge

Show da Tarde - Vídeos

Nós no Facebook

Tiago Prado | Promova sua página também

Veja também

 

About US