Pesquisar este blog

Recebe as atualizações no seu e-mail

20 de maio de 2012

Carta de Uberlândia defende revalorização da profissão



Com informações da FENAJ

Realizado em Uberlândia, de 27 a 29 de abril, o 14º Encontro Nacional de Professores de Jornalismo expressou preocupação com as denúncias envolvendo jornalistas e empresas de comunicação no esquema de corrupção de Carlinhos Cachoeira e com o aumento da violência contra jornalistas. Além de defenderem o diploma e a democratização da comunicação, os docentes de Jornalismo também manifestaram preocupação com a demora na apreciação da proposta de novas Diretrizes Curriculares Jornalismo e com a precarização do trabalho docente. Durante o evento foi eleita a nova direção da entidade.

Cerca de 150 professores e alunos participaram do 14º ENPJ, que teve como tema “A formação superior como elemento constituinte e legitimador do campo do jornalismo”. Eleita durante o evento, a nova diretoria do Fórum Nacional de Professores de Jornalismo (FNPJ), que irá conduzir os trabalhos do FNPJ pelos próximos quatro anos, será presidida por Mirna Tonus, da Universidade Federal de Uberlândia (UFU/MG).

Referindo-se ao escândalo envolvendo jornalistas e empresas de comunicação no esquema de Carlinhos Cachoeira, a Carta de Uberlândia defende “uma postura de revalorização dos princípios éticos e deontológicos da profissão”, profunda investigação dos fatos e punição aos corruptos e corruptores, e até a cassação dos registros profissionais dos “maus profissionais”.

Além de postularem a aprovação da PEC dos Jornalistas e um novo marco regulatório para as comunicações no país, os docentes de Jornalismo, no que concerne à educação superior, não só manifestaram preocupação com a demora na apreciação da proposta de novas Diretrizes Curriculares Nacionais de Jornalismo pelo Conselho Nacional de Educação (CNE), como também reivindicaram o fortalecimento das políticas de extensão.

A Carta de Uberlândia também denuncia a precarização do trabalho docente, que vem ocorrendo com demissões arbitrárias e a substituição de professores qualificados por outros de menor capacitação, ações classificadas como “medidas que visam a potencialização do lucro e evidenciam a mercantilização da Educação”.
A Universidade Federal do Rio de Janeiro apresentou candidatura para sediar o 15º ENPJ, que deverá ocorrer no município de Seropédica, em 2014.

Confira na íntegra do documento final do 14º ENPJ a seguir.

CARTA DE UBERLÂNDIA
Os docentes reunidos no 14º Encontro Nacional de Professores de Jornalismo, realizado em Uberlândia, Minas Gerais, no período de 27 a 29 de abril de 2012, manifestam preocupação com as denúncias de envolvimento de jornalistas e de empresas de comunicação no esquema de corrupção montado pelo contraventor conhecido por Carlinhos Cachoeira.

Se comprovadas, as denúncias significam que os valores humanos, democráticos e jornalísticos mais elementares estão deixando de ser respeitados por este pequeno grupo de profissionais e de empresas. No caso específico do exercício do Jornalismo, fica gravemente prejudicada a postura de impessoalidade e independência no tratamento da informação jornalística, que se constitui em serviço e bem público necessário ao exercício da cidadania e à constituição de uma esfera pública democrática.

Os professores de Jornalismo alertam para o fato de que esse comportamento é avesso aos valores debatidos nos cursos com os futuros profissionais e para o fato de, apesar de restrito a pequenos grupos de jornalistas, revelar uma forma nova de operação do crime. As notícias até agora divulgadas sobre a Operação Monte Carlo, da Polícia Federal, revelam que jornalistas e empresas são assediados para integrar diretamente uma organização criminosa, e passam a fazê-lo como uma de suas células, com o propósito não só de distorcer a realidade, mas de viabilizar práticas absolutamente ilícitas.

Isso exige de todos os atores sociais envolvidos com o Jornalismo uma postura de revalorização dos princípios éticos e deontológicos da profissão, ações no sentido de blindar a atividade jornalística contra o assédio promovido pelo crime, cassar o registro dos maus profissionais e exigir das autoridades públicas profunda investigação dos fatos e punição aos corruptos e corruptores.

Para os participantes do Encontro, esses fatos sinalizam mais uma vez para a necessidade da democratização da comunicação no Brasil, o que passa pelo estabelecimento de um marco regulatório claro, que assegure, ao mesmo tempo, a liberdade de imprensa e a participação da sociedade no estabelecimento de políticas para o setor, por intermédio de um Conselho de Comunicação independente e com poderes de regulação, como ocorre em boa parte do mundo democrático, conforme proposta aprovada na Primeira Conferência Nacional de Comunicação (Confecom), realizada em dezembro de 2009.

No caso específico do Jornalismo, passa também pela criação, negada pelo Congresso Nacional, de um Conselho Federal e dos Conselhos Regionais de Jornalistas, como autarquia legítima para zelar adequadamente pelo bom exercício profissional do Jornalismo, cassando, se necessário e em benefício da sociedade, o registro dos profissionais cuja conduta antiética seja comprovada.

Também é preocupante o aumento da violência contra jornalistas no Brasil, com seis assassinatos ocorridos nos últimos cinco meses. O último da triste estatística foi Décio Sá, de 42 anos, morto com seis tiros, em São Luiz do Maranhão, no dia 23 abril de 2012. Sá era jornalista do Estado do Maranhão e dono de um blog conhecido pelas denúncias e críticas contra o poder público e políticos, o que o tornou uma das páginas mais acessadas da região. Tais fatos denunciam a intolerância de certos setores da sociedade com a crítica pública e com os valores democráticos e requerem das autoridades policiais e judiciais ações contundentes no sentido de punir os responsáveis e garantir a segurança necessária ao exercício profissional do Jornalismo, um serviço fundamental à cidadania e à democracia.

Os participantes do 14º ENPJ também reafirmam a necessidade de o Congresso Nacional dar continuidade ao processo de votação da Proposta de Emenda Constitucional 33 (conhecida como a PEC dos Jornalistas), aprovada em primeiro turno no Senado da República, que restitui a obrigatoriedade da graduação em Jornalismo para o exercício da profissão de jornalista. Essa exigência, equivocadamente eliminada pelo STF da legislação que regulamenta a profissão, é condição fundamental para qualificar a atividade, colocá-la em sintonia com as aspirações sociais, devolver minimamente ao Estado a capacidade de regulação da atividade e restabelecer o papel central da instituição universitária na determinação do perfil profissional e, portanto, do perfil de jornalismo que a sociedade brasileira terá.

No que diz respeito à educação superior, os docentes de Jornalismo também manifestam preocupação com a demora na apreciação da proposta de novas Diretrizes Curriculares Nacionais de Jornalismo pelo Conselho Nacional de Educação (CNE), onde tramita há mais de dois anos. Tal fato gera insegurança, atrasa a atualização dos projetos pedagógicos e da estrutura curricular desencadeada por diversos cursos de Jornalismo em todo o Brasil e posterga mais ainda o processo nacional desencadeado pelo próprio MEC de reconhecimento e de afirmação da identidade e especificidade do Jornalismo e dos seus princípios democráticos e republicanos.

Os participantes do encontro reivindicam, ainda, das autoridades competentes, o fortalecimento das políticas de extensão, para que essa prática se efetive como componente fundamental da presença das instituições universitárias na vida das sociedades nas quais estão inseridas. Por fim, os participantes do 14º Encontro Nacional de Professores de Jornalismo denunciam a precarização do trabalho docente, as demissões arbitrárias e a substituição de professores qualificados por outros de menor capacitação, medidas que visam a potencialização do lucro e evidenciam a mercantilização da Educação.

APROVADA NA ASSEMBLEIA-GERAL-ORDINÁRIA DO FNPJ REALIZADA DENTRO DO 14º ENCONTRO NACIONAL DE PROFESSORES DE JORNALISMO

Uberlândia (MG), 29 de abril de 2012.

Filled Under:

0 comentários:

Postar um comentário

Google+ Badge

Show da Tarde - Vídeos

Nós no Facebook

Tiago Prado | Promova sua página também

Veja também


 

About US